Tripofobia: o que é, principais sintomas e tratamento (com teste online)

HomeLifestyle

Tripofobia: o que é, principais sintomas e tratamento (com teste online)

A tripofobia é o medo irracional de imagens ou objetos que têm buracos ou padrões irregulares, como favos de mel, sementes de lótus, plantas ou esponjas, por exemplo. Assim, quando diante desses padrões, a pessoa pode apresentar sintomas como coceira, tremores, formigamento e repulsa, além de aumento dos batimentos cardíacos e crises de pânico, nos casos mais graves.

A tripofobia ainda não é reconhecida no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Americana de Psiquiatria, mas alguns estudos comprovam que a fobia existe e provoca sintomas que condicionam a vida das pessoas.

O tratamento da tripofobia pode incluir terapia gradual de exposição, uso de ansiolíticos, antidepressivos ou psicoterapia.

Conteúdo sensível

Esta imagem pode apresentar conteúdo desconfortável para algumas pessoas.


Atenção: a imagem pode causar mal estar caso você tenha tripofobia.

Principais sintomas

Os principais sintomas de tripofobia são:

  • Enjoo;
  • Tremores;
  • Suores;
  • Nojo;
  • Choro;
  • Arrepios;
  • Desconforto;
  • Aumento do ritmo cardíaco;
  • Coceira e formigamento generalizados.

Em casos mais graves, a pessoa pode também sofrer ataques de pânico, devido a um nível extremo de ansiedade. Saiba o que fazer durante um ataque de pânico.

Não ignore os seus sintomas!

Priorize sua saúde. Descubra a causa dos seus sintomas e receba o cuidado que precisa.




Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Teste online de sintomas

Para saber a possibilidade de ter tripofobia, por favor, selecione os sintomas que apresenta:

Este teste é uma ferramenta que serve apenas como meio de orientação. Portanto, não tem a finalidade de dar um diagnóstico e nem substitui a consulta com um psiquiatra.

O que causa a tripofobia

De acordo com pesquisas, as pessoas com tripofobia associam inconscientemente os buracos ou objetos com padrões irregulares, normalmente relacionados a padrões criados pela natureza, a possíveis situações de perigo. Essa sensação de perigo é desencadeada sobretudo devido à semelhança entre o aspecto dos buracos com a pele de animais venenosos, como cobras, por exemplo, ou com vermes que causam doenças na pele, como calcanhar de maracujá.

Pessoas com tripofobia apresentam sintomas quando estão expostas a padrões como sementes de lótus, favos de mel, bolhas, morangos ou crustáceos.

Geralmente, as pessoas que sofrem com essa fobia não conseguem distinguir situações em que há ou não perigo, tratando-se de um reflexo inconsciente que resulta em reações que não podem ser controladas.

Leia também: Fobia: o que é, 9 principais tipos e sintomas


tuasaude.com/tipos-de-fobias-mais-comuns

Como é feito o tratamento

O tratamento para a tripofobia deve ser orientado pelo psicólogo e/ ou psiquiatra de acordo com o grau da fobia e sintomas apresentados pela pessoa.

1. Terapia de exposição

Este tipo de terapia ajuda a pessoa a controlar o medo, mudando a sua resposta em relação ao objeto que o provoca, devendo ser feito com muito cuidado de forma a não provocar trauma.

Esta terapia deve ser feita com o auxílio de um psicólogo através da exposição ao estímulo que provoca a fobia de forma gradual. Através do diálogo, o terapeuta usa técnicas de relaxamento, para que a pessoa enfrente o medo, até o desconforto diminuir.

2. Uso de medicamentos

O uso de medicamentos pode ser indicado pelo psiquiatra como forma de complementar a terapia de exposição. Assim, pode ser recomendado o uso de medicamentos que ajudam a diminuir a a ansiedade e os sintomas de pânico, como beta-bloqueadores e sedativos.

Leia também: Remédios para ansiedade: naturais e de farmácia


tuasaude.com/remedios-para-ansiedade

3. Prática de atividades que promovem o bem estar

A prática de atividades que promovam o relaxamento e a diminuição da ansiedade também pode ser sugerida pelo psicólogo ou psiquiatra, como é o caso do ioga e de atividade física, por exemplo.

Imagem do autor

Clínico geral pela UPAEP com cédula profissional nº 12420918 e licenciado em Psicologia Clínica pela UDLAP nº 10101998.





91% dos leitores

acham este conteúdo útil



(75 avaliações nos últimos 12 meses)

Histórico de atualizações

Atualizamos regularmente os nossos conteúdos com a informação científica mais recente, para que mantenham um nível de qualidade excepcional.

Bibliografia
  • VLOK-BARNARD, Michelle; STEIN Dan J.. Trypophobia: an investigation of clinical features. Revista Brasileira de Psiquiatria. Vol.39, n.4. 337-341, 2017

Fonte: clique aqui.

Você gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS