‘Se não apresentar provas, tem que ser preso’

HomeEsporte

‘Se não apresentar provas, tem que ser preso’

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Kajuru (PSB-GO) foi o responsável por enviar pedido de investigação à PF contra Textor

O senador Jorge Kajuru (PSB-GO) defendeu, na última terça-feira (2), que o dono da SAF do Botafogo, John Textor, seja preso caso não entregue as provas das acusações que sustenta. O empresário norte-americano fez graves denúncias nos últimos dias a respeito de casos de manipulação de resultados no futebol brasileiro. Ele envolveu o Fortaleza e o São Paulo nas ilações para reforçar a tese de que o Palmeiras, atual bicampeão nacional, foi beneficiado nas últimas temporadas.

“Para mim, se ele não trouxer as provas e as gravações, teria que ser preso aqui amanhã. Aliás, tem que algemá-lo, ir para a cela”, ameaça o parlamentar.

Esta não é a primeira vez que Textor contesta a lisura do futebol brasileiro. No mês passado, Textor afirmou que dispõe de áudios de árbitros reclamando que não receberam propina. O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) exigiu a entrega dos documentos. Porém, o norte-americano entende que o tribunal não tem competência para analisar o caso na esfera criminal. Assim, ele assegurou que deixará as provas no Ministério Público.

Kajuru recorre à PF contra Textor

Enquanto isso, o parlamentar goiano segue tentando emparedar o mandachuva norte-americano.

“Enviei à Polícia Federal, ao diretor Andrei (um pedido) que convoque esse cidadão americano, que mora no Rio de Janeiro, dono do Botafogo do Rio, em 24 horas, que ele venha a Brasília, e que exija que ele traga as provas e as gravações”, determinou Kajuru.

A decisão ficará por conta do diretor da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, definir se abrirá ou não investigação.

O anúncio do envio do pedido foi feito pelo senador Jorge Kajuru (PSB-GO), durante sessão do plenário, nesta terça. Depois do pronunciamento, os senadores Eduardo Girão (Novo-CE) e Carlos Portinho (PL-RJ) quiseram, então, assinar o ofício.

Associação de outros senadores contra Textor

Posteriormente, o senador Eduardo Girão frisou que as declarações do proprietário da SAF do Botafogo são ataques que afastam os brasileiros de “um amor compartilhado pelo país”.

“O que a gente está vendo agora com essas denúncias, são as suspeitas que vão afastando as famílias de acompanharem uma paixão nacional”, destacou o senador do Ceará.

Na solicitação enviada à Polícia Federal, os políticos creem na instituição ‘por sua competência e imparcialidade, é a instituição mais adequada para conduzir essa investigação, garantindo a transparência e a eficácia do processo’.

“Ressalto que a credibilidade e a lisura do futebol brasileiro estão em jogo, bem com a confiança da sociedade nas instituições responsáveis por zelar pela justiça e pela integridade do nosso país”, frisa o ofício.

Dono da SAF do Botafogo começa as queixas em novembro

O primeiro episódio de conflito foi em novembro do ano passado. Na oportunidade, Textor incitou que houve roubo contra o Botafogo durante a derrota por 4 a 3 de virada para o Palmeiras. Em seguida, exigiu que Ednaldo Rodrigues renunciasse à presidência da CBF.

“Isso precisa mudar. Ednaldo, você precisa renunciar pelo bem do jogo. Isso precisa acabar. Isso é roubo, me multa. Você não pode me expulsar, é meu estádio, eu vou continuar aqui”, fez acusações após o final da partida. Posteriormente, o mandatário da Confederação Brasileira de Futebol o processou.

Alguns dias depois, o empresário publicou uma análise dos jogos da última edição do Campeonato Brasileiro. O intuito era se defender de denúncias que recebeu do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Inclusive, utilizou tal divulgação para reiterar que houve a quebra da integridade do torneio por erros de arbitragem.

Denúncias de favorecimento ao Palmeiras

Na última segunda-feira (1), o proprietário da SAF do Botafogo trouxe à tona novamente o tema corrupção. Dessa vez, voltou a destacar um possível envolvimento do Palmeiras. Em entrevista ao “Canal do Medeiros”, Textor afirmou ter provas, mas sem mostrá-las, disse que houve favorecimento ao Alviverde por parte da arbitragem nos dois anos anteriores.

Por sinal, segundo ele, uma das partidas em que houve manipulação de resultados foi a vitória de goleada por 5 a 0 sobre o São Paulo. O clássico estadual em questão foi válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2023.

Siga o Jogada10 nas redes sociais:
Twitter, Instagram e Facebook

Fonte: clique aqui.

Você gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS