Saúde em alta: abertura de empresas na área cresceu 10% em 2023

HomeBrasil

Saúde em alta: abertura de empresas na área cresceu 10% em 2023

De acordo com um levantamento realizado pelo Sebrae, cerca de 48,7 mil novas micro e pequenas empresas (MPE) da área da saúde, como consultórios, ambulatórios e clínicas médicas especializadas em medicina e odontologia, foram inauguradas em 2023. O número representa um aumento de 10,5%, se comparado ao mesmo período do ano anterior, e mais de 80% em relação a 2019.

Outra área que registrou um grande número de abertura de MPE foram aquelas lideradas por nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas. Cerca de 27,7 mil novas empresas foram registradas, o que equivale a um crescimento de 32% em comparação ao ano anterior e de 226,6% em relação a 2019.

De acordo com o Sebrae, esse crescimento exponencial está ligado ao surgimento de novos negócios e demandas e prestações de serviços. 

“Na pandemia de Covid-19, o setor de saúde foi um dos que mais tiveram fôlego e seu visível avanço se deu por causa da telemedicina e de outras ferramentas e modelos de negócio que se adaptaram à realidade do distanciamento social. O período foi um marco para a atenção sobre a saúde de uma maneira geral, mas, principalmente, para a saúde mental.” 

Segundo dados da Receita Federal, atualmente o Brasil tem pouco mais de 430 mil empresas ativas registradas na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).  “Hoje, retém-se clientela com sistema, processo e bom relacionamento, a partir de uma nova roupagem da saúde que é a transformação digital”, destaca Flávio Barros, analista de Competitividade do Sebrae Nacional. 

Segundo o especialista, para garantir a sobrevivência no setor de saúde é preciso saber lidar com a competitividade e agregar valor. O diferencial de um negócio pode estar no tratamento dado ao cliente no pré e no pós-atendimento, através de mensagens e pesquisa de satisfação, por exemplo.

Com o aumento da procura por serviços de saúde, as empresas também começaram a ter demanda por apoio na gestão, isso porque a formação acadêmica dos profissionais da área ainda não abrange temas como empreendedorismo. “Eles não foram formados para ter a cultura de gerir um negócio. É aí que entra o Sebrae, atuando na melhora da sobrevivência, trazendo modelos sofisticados de operação, trabalhando com valores éticos”, explica Flavio.

Elevando a competitividade dos pequenos negócios de saúde

Com atuação nas cinco regiões do país, a partir das unidades do Sebrae nos estados, o “Programa Brasil + Competitivo’ busca elevar o nível de competitividade dos pequenos negócios por meio de jornadas estruturadas que promovam ganhos de produtividade, ampliação de mercados, melhoria de gestão e aumento da competitividade estrutural e sistêmica, considerando as especificidades dos setores, cadeias e vocações territoriais. 

A partir da inteligência setorial, territorial e de mercado, e com a mensuração de resultados efetivos para os pequenos negócios, o Sebrae oferece soluções que promovam o aprimoramento dos negócios, o acesso a mercados nacionais e internacionais, a adoção de inovações tecnológicas voltadas para aumento da sua produtividade, bem como a promoção da prosperidade nos territórios alavancando economias portadoras de futuro. 

Em 2023, o grupo de empresas que participou da iniciativa teve uma média de aumento de 16% do faturamento. Já os empreendimentos da área da saúde atingiram um índice ainda maior, com 23,4% de aumento, mostrando que o mercado está aquecido e as empresas estão buscando destaque no setor. 

Com base nos resultados do programa, o Sebrae lança para 2024 a jornada “Clínicas do Futuro”, a fim de levar a um maior número de empresas a uma atuação exitosa do segmento. O “Brasil + Competitivo” passará a se chamar “Impulsionar Negócios” e serão quase 30 iniciativas no tema Saúde e Saudabilidade e mais de R$ 9 milhões investidos no desenvolvimento de projetos de competitividade.

Fonte: clique aqui.

Você gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS