O governo do Peru decretou estado de emergência nacional de saúde por 90 dias neste domingo, devido a um surto incomum de casos de síndrome de Guillain-Barré.

O Ministério da Saúde peruano anunciou no sábado que foram registrados 182 casos da síndrome no país desde janeiro, além de quatro óbitos – outros 31 pacientes ainda estão hospitalizados.

Mas afinal, o que é a síndrome? A síndrome de Guillain-Barré é uma condição neurológica rara e grave, na qual o sistema imunológico do corpo ataca o sistema nervoso periférico. Isso resulta em inflamação dos nervos, o que por sua vez leva a fraqueza muscular, formigamento, dormência e, em casos mais graves, paralisia.

Sendo uma doença autoimune, ainda não se conhece totalmente a razão de sua ocorrência. Segundo o site da CUF, a síndrome de Guillain-Barré pode afetar qualquer pessoa, de qualquer idade ou sexo, embora seja mais comum em adultos e idosos do que em crianças.

Estima-se que afete uma em cada 100 mil pessoas por ano e, embora não haja cura, o tratamento dessa síndrome oferece recuperação total para a maioria dos pacientes.

Os sintomas costumam ser motores e, na maioria dos casos, ocorrem de forma ascendente. Eles começam nos pés, se estendem para as pernas e posteriormente atingem os braços. A pessoa afetada tem dificuldade para andar e manusear objetos.

Ainda segundo a CUF, outros sintomas que podem ocorrer incluem:

-Formigamento nas mãos, pés, dedos, tornozelos e pulsos.
-Paralisia flácida, ou seja, paralisia ou fraqueza muscular e -perda de tônus muscular sem razão aparente.
– Arreflexia, ou seja, ausência de reflexos.
– Dificuldade para andar e subir escadas ou instabilidade na forma de andar.
– Dificuldade em realizar movimentos faciais, como mastigar, engolir ou falar.
– Incapacidade de mover os olhos ou visão dupla.
– Incontinência ou problemas no controle da bexiga e do sistema intestinal.
– Dificuldade para respirar.

Leia Também: Hábitos que ajudam a fortalecer (e muito) o sistema imunológico

Fonte: Notícias ao Minuto