Mesmo com baixa no número de casos, BA ainda não prevê flexibilização de máscaras

43

Diferentemente de outros locais em que o uso de máscaras foi flexibilizado, a Bahia não prevê nenhuma alteração nos decretos estaduais a fim de conceber medidas parecidas. A não-cobrança do equipamento de proteção individual foi anunciada pela Rio de Janeiro no início da semana e, nesta quinta-feira (10), ao menos onze capitais haviam seguido o anúncio ou marcado uma data para que a decisão passasse a vigorar. A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), que monitora a evolução da Covid-19, no entanto, vê com preocupação a quantidade de casos da doença, que alcançou uma marca de 3 mil casos ativos (saiba mais aqui), de acordo com o boletim epidemiológico divulgado na noite de quarta (9). O número segue em trajetória descendente e caiu para 2,8 mil casos nesta quinta. "O Comitê de Emergências em Saúde se reúne semanalmente para avaliar as medidas e leva em consideração pessoas internadas em leitos clínicos e de UTI, além da falta de uma taxa de cobertura vacinal homogênea. Levando-se em conta todas essas variantes, no momento, a obrigatoriedade do uso de máscaras permanece em vigor", ressaltou a Sesab em uma nota enviada ao Bahia Notícias. A posição segue o mesmo direcionamento dado pela gestão estadual, tanto pelo governador Rui Costa (PT) quanto pela titular da pasta da Saúde, Adélia Pinheiro, que na última segunda (7) afirmou que ainda não há condições do estado discutir a não obrigatoriedade de máscaras em alguns ambientes (confira aqui). Como explicou a secretária, ainda há "pessoas internadas em leitos de UTI Covid-19 pediátrico e adulto, e não temos uma cobertura homogênea acima de 90%". Pelo menos dez capitais anunciaram que vão deixar de cobrar o uso de máscaras em locais abertos: Belo Horizonte, Boa Vista, Campo Grande, Florianópolis, Macapá, Natal, Rio de Janeiro, São Luís, São Paulo e Teresina. Manaus também afirmou que vai relaxar a utilização em ambientes do tipo, mas a decisão só passa a valer no próximo dia 16. Brasília, Rio e Natal optaram por flexibilizar a obrigatoriedade também em espaços fechados. Estado com a primeira capital que assentiu com a mudança nas regras de prevenção, o estado do Rio de Janeiro tinha, nesta quinta, 7.002 habitantes com a Covid-19. O número observado do Rio é mais que o dobro dos 2,8 mil casos identificados na Bahia e três vezes menor que os 90.529 casos acompanhados em Minas Gerais, onde cerca de 1.245 foram identificados apenas entre moradores de Belo Horizonte.Fonte: