Março teve o menor nº de casos de SRAG e registros por Influenza chegaram a zero

29

Março registrou o menor índice de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) desde o início do ano, apontam os dados da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela pasta, os confirmados para Covid-19 reduziram a partir da quinta semana do ano e chegaram a zero, a partir da oitava semana, no contexto dos positivos para Influenza. No início do ano, indicou a Saúde do estado, o quantitativo era acima dos 1,2 mil. Neste quadro, se destacavam os casos não especificados. Nas semanas seguintes, até a última semana, o predomínio foi de pacientes diagnosticados com Covid-19. Entre janeiro e fim de março, 8.361 casos de SRAG foram observados pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) – 4.410 foram confirmados para Covid (52,7%), 218 casos por Influenza (2,6%), 177 por outros vírus respiratórios (2,1%), 275 por outro agente etiológico (3,3%), 2.197 casos (26,3%) não foi identificado o agente etiológico (SRAG não especificada). Quando divulgado, o boletim epidemiológico trazia a informação de que 1.084 SRAGs (13%) estavam em processo de investigação. Há uma predominância do vírus SARS CoV-2 entre as 2002 mortes por síndrome respiratória aguda grave. Elas representaam 1.480 (73,9%). Neste universo, 41 (2%) foram por Influenza, 10 (0,5%) por outros vírus respiratórios e 59 (2,9%) óbitos por outro agente etiológico. Em 404 (20,2%) óbitos não houve a identificação do agente etiológico (SRAG não especificada) e 8 (0,4%) deles se encontram em investigação quando da divulgação pela Sesab.Fonte: Bahia Notícias