Líderes da oposição pedem eleições antecipadas em Israel

HomeÚltimas Notícias

Líderes da oposição pedem eleições antecipadas em Israel

O ministro da guerra israelense, Benny Gantz, principal rival político do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, convocou abertamente eleições parlamentares em setembro, em uma coletiva pública na quarta-feira (3).

“Para que possamos permanecer unidos e ter sucesso nas tarefas que enfrentamos, o público deve saber que em breve pediremos mais uma vez que demonstrem a sua confiança, que não ignoraremos a catástrofe de 7 de outubro e o que ocorreu antes disso”, disse Gantz.

Gantz disse que notificou o primeiro-ministro israelense sobre seu pedido, mas se recusou a dizer se deixará a coalizão se o governo não decidir a data das eleições. Gantz tem sido um dos oponentes mais veementes de Netanyahu dentro do gabinete de guerra.

O partido Likud de Netanyahu instou Gantz a “parar de se envolver em políticas mesquinhas” enquanto Israel estiver em guerra. “As eleições agora levarão inevitavelmente à paralisia, divisão, danos aos combates em Rafah e danos fatais às chances de um acordo de reféns”, disse o partido em um comunicado. “O governo continuará até que todos os objetivos da guerra sejam alcançados.”

O líder da oposição israelense, Yair Lapid, apelou à demissão do atual governo “o mais cedo possível” em resposta à declaração de Gantz. “O Estado de Israel não pode esperar mais seis meses até que este governo terrível, perigoso e mais fracassado da história deste país vá embora. Este governo deveria sair o mais cedo possível para que possamos trazer de volta os reféns, permitir o retorno dos cidadãos, conquistar o Hamas e garantir que alguém cuide da classe média israelense”, disse Lapid em uma postagem no X na quarta-feira.

Esta não é a primeira vez que novas eleições são convocadas. Outro ministro, Gadi Eisenkot, também apelou ao mesmo no início deste ano, dizendo que as eleições são importantes “para renovar a confiança, uma vez que atualmente não há confiança”. Houve também grandes protestos públicos em Tel Aviv e Jerusalém, um desafio significativo para a liderança cada vez mais combativa de Netanyahu.

Fonte: clique aqui.

Você gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS