Federação Palestina pedirá sanções contra Israel no Congresso da Fifa

HomeEsporte

Federação Palestina pedirá sanções contra Israel no Congresso da Fifa

ATTILA KISBENEDEK

Torcedores exibem bandeiras de Israel em jogo das Eliminatórias da Euro contra a Suíça, em novembro do ano passado, em Budapeste, na Hungria

Attila KISBENEDEK

A Federação Palestina de Futebol (PFA) vai pedir sanções contra as equipes israelenses durante o próximo Congresso da Fifa, no dia 17 de maio, devido às “graves violações dos direitos humanos cometidas por Israel”, segundo a agenda do evento.

Esse será um dos principais pontos da agenda da 74ª reunião anual da entidade que comanda o futebol mundial, em Bangkok, juntamente com a designação da próxima sede do Mundial Feminino de 2027 e um plano de combate ao racismo.

Formulada em meados de março num primeiro e-mail enviado à Uefa, a proposta palestina provocará o primeiro debate numa grande organização esportiva sobre as consequências da guerra na Faixa de Gaza, iniciada por Israel no outono passado, após o violento ataque de 7 de outubro perpetrado pelo Hamas.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) se manteve fora do conflito, se baseando na coexistência desde 1995 dos Comitês Olímpicos Nacionais (CON) israelense e palestino, com uma “solução de dois Estados” herdada do processo de paz de Oslo e igualmente adotada pela Fifa.

Mas num texto de sete páginas, a PFA denuncia uma série de violações dos estatutos da Fifa por parte da Federação Israelense de Futebol (IFA), que vão desde as consequências diretas dos atentados – “pelo menos 92 jogadores de futebol mortos” em meados de março e todas as infraestruturas desportivas de Gaza destruídas – à falta de luta contra a “discriminação e racismo” anti-palestiniano no futebol.

“Só no futebol israelense pode haver um clube que rejeite jogadores árabes e a violência extrema pode ser considerada uma simples infração disciplinar”, argumenta esse e-mail, que também menciona o racismo alegado pelos torcedores do Beitar Jerusalem FC, além de publicações de dirigentes israelenses nas redes sociais apoiando “o genocídio em Gaza”.

Apoiada pelas federações argelina, iraquiana, jordaniana, síria e iemenita, mas não pelas influentes federações do Catar ou da Arábia Saudita, a PFA apela, portanto, a “sanções apropriadas contra as equipes israelenses” e contra a IFA.

Fonte: clique aqui.

Você gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS