Entrada da Lemos Brito tem tumulto após ameaça de suspensão de visitas

24

Mães, esposas e filhas de detentos invadiram o Complexo Penitenciário da Mata Escura no início da manhã desta quarta-feira (9). Por conta da paralisação dos policiais penais, elas foram impedidas de entrar para a visitação na PLB.

Elas se aglomeraram na entrada do complexo desde cedo. Depois de muitas tentativas, essas mulheres avançaram e entraram quando o acesso aos funcionários foi liberado.

"Todas elas aproveitam o momento e invadiram. Foram todas para a porta da PLB. Lá, sem opção, a direção permitiu a entrada delas sem as sacolas com alimentos e outras coisas. Três servidoras que estão lá fazem a revistas", contou Fernando Fernandes, vice-presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado da Bahia.

Segundo Fernandes, a paralisação havia sido divulgada. "Informamos a paralisação de 72 horas desde a semana passada a Seap e o Ministério Público (MP-BA), que a maioria das atividades seria suspensa, inclusive a visitação. Algumas unidades anteciparam as visitas de quarta, quinta e sexta para esta segunda e terça. Mas a PLB não", disse Fernando Fernandes, vice-presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado da Bahia.

"Nosso objetivo é saber porque a Bahia não cumpre o artigo 144 da constituição federal que estabelece a polícia penal como órgão permanente e responsável pelo controle e segurança dos estabelecimentos penais. Dos 23 estados, a Bahia é um dos quatro que até agora não vem cumprindo e até agora não disse qual o empecilho", disse Fernandes. "Estamos em assembleia hoje para decidir os próximos passos. É possível que tenhamos uma grave geral", finalizou.