Dado reconhece baixa produtividade do Vitória: ‘Eu aceito todas as críticas’

15

De cabeça baixa, Alemão lamenta derrota do Vitória para o Doce Mel

Dado Cavalcanti sabe que o Vitória está em dívida com a torcida na temporada. Na noite desta quarta-feira (9), o treinador rubro-negro lamentou mais um tropeço, dessa vez para o Doce Mel. No estádio Barbosão, em Cruz das Almas, o rubro-negro perder por 1×0, na 7ª rodada do Campeonato Baiano e deixou escapar a chance de entrar no G4 do torneio.

"Eu aceito todas as críticas. Aceito demais. O torcedor tem razão, nossa equipe está deixando a desejar. Nosso time poderia estar muito melhor na tabela. Nós deixamos passar pontos preciosos em casa. Então eu dou razão para as críticas. O que nos resta é trabalhar para dar volta por cima no sábado. Falar o mínimo possível e trazer os resultados que o torcedor quer", afirmou Dado durante entrevista coletiva.

O único gol do jogo foi marcado pelo zagueiro Mateus Moraes, contra. Com o resultado, o Vitória se manteve na 5ª colocação, com nove pontos, e já não depende das próprias forças para avançar às semifinais. O rubro-negro volta a entrar em campo pelo Baiano no sábado (12), às 18h30, quando visita a Unirb, no estádio Carneirão, em Alagoinhas. Depois, no dia 16, recebe o Bahia de Feira, no Barradão.

"Temos dois jogos ainda pelo estadual. Primeiro de tudo é buscar o resultado. Estamos deixando a desejar. Temos plenas condições de classificação no Campeonato Baiano e vamos colocar o que temos de melhor para reverter e voltar a vencer no próximo jogo", projetou Dado.

O técnico também explicou as quatro substituições que fez no intervalo do jogo. O Leão voltou para o segundo tempo com Ruan Nascimento, Gabriel Santiago, Erik e Alisson Santos nos lugares de Alan Santos, Jadson, Dinei e Roberto, respectivamente.

"Primeiro mais energia. Nossa equipe foi passiva no primeiro tempo. O tipo de jogo não condizia com a equipe que entrou em campo. Então eu coloquei jogadores mais leves, mais agressivos, para tentar ocupar mais o campo do adversário. Essa foi a proposta da entrada dos quatro jogadores mais leves, mais jovens e mais agressivos. Tentar mudar a cara do time, que não estava agradável", disse.