Congressista republicano parece sugerir lançar bombas em Gaza para acabar com o conflito

HomeÚltimas Notícias

Congressista republicano parece sugerir lançar bombas em Gaza para acabar com o conflito

O deputado republicano Tim Walberg insiste que ele estava falando metaforicamente quando pareceu sugerir que as bombas devem ser lançadas em Gaza “como Nagasaki e Hiroshima” para “superar isso rápido.”

Walberg, que representa o sul de Michigan, estava falando com eleitores em um evento em 25 de março, quando fez a referência da era da Segunda Guerra Mundial sobre os ataques atômicos dos EUA contra o Japão, ao pedir o fim da ajuda dos EUA a Gaza.

Em um vídeo postado nas redes sociais em que Walberg pode ser ouvido, mas não visto, o congressista republicano respondeu a uma pergunta de um eleitor sobre por que os EUA estavam usando dólares americanos para construir um cais temporário para fornecer assistência humanitária a Gaza.

“Acho que não deveríamos”, disse Walberg sobre a entrada de mais ajuda humanitária em Gaza, onde a ONU alertou que a fome é iminente no norte e disse que 70% da população já está sofrendo com níveis catastróficos de fome. “Não deveríamos gastar um centavo em ajuda humanitária.”

Ele continuou: “Deve ser como Nagasaki e Hiroshima. Acabe logo com isso.”

Em uma transcrição completa da resposta de Walberg, fornecida à CNN por seu escritório, o congressista republicano acrescentou que a mesma lógica deve ser usada na Ucrânia para “derrotar Putin rapidamente.”

“O mesmo deveria acontecer na Ucrânia. Derrote Putin rapidamente. Em vez de 80% na Ucrânia ser usado para fins humanitários, deveria ser 80-100% para acabar com a Rússia, se é isso que queremos fazer”, continua ele, de acordo com a transcrição.

Em um comunicado postado em X, Walberg insistiu que não estava sugerindo que armas nucleares fossem usadas para acabar com os conflitos – apesar de sua referência aos EUA lançando bombas atômicas em duas cidades japonesas para acabar com a Segunda Guerra Mundial.

“Como uma criança que cresceu na Era da Guerra Fria, a última coisa que eu defenderia seria o uso de armas nucleares. Num vídeo encurtado, usei uma metáfora para transmitir a necessidade de Israel e da Ucrânia vencerem as suas guerras o mais rapidamente possível, sem colocar as tropas americanas em perigo. Meu raciocínio foi exatamente o oposto do que está sendo relatado: quanto mais rápido essas guerras terminarem, menos vidas inocentes serão apanhadas no fogo cruzado”, disse Walberg no comunicado.

“Quanto mais cedo o Hamas e a Rússia se renderem, mais fácil será avançar. O uso dessa metáfora, juntamente com a remoção do contexto, distorceu minha mensagem, mas eu apoio totalmente essas crenças e apoio nossos aliados”, acrescentou.

Fonte: clique aqui.

Você gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS