Civis deixam cidades na Ucrânia durante cessar-fogo temporário

21

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Rússia abriu nesta terça-feira (8) novos corredores humanitários para retirada de civis na Ucrânia. Moradores de Sumi (nordeste) e Irpin (próxima a Kiev) conseguiram deixar as cidades, de acordo com autoridades ucranianas.

O acordo para cessar-fogo temporário entrou em vigor às 10h (4h em Brasília). Pouco depois, o governo ucraniano divulgou imagens de civis embarcando em um ônibus de comboio humanitário.

"Nós já começamos a retirada de civis de Sumi para Poltava [região central da Ucrânia]. Pedimos para que a Rússia aceite outros corredores humanitários na Ucrânia", disse o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitro Kuleba, em uma rede social.

Além de Sumi, foram planejados corredores humanitários na capital Kiev e outras três cidades ucranianas: Tcherhihiv, Kharkiv e Mariupol, segundo a agência de notícias Interfax.

A operação para a retirada dos moradores foi acordada nesta segunda (7), durante a terceira rodada de negociações sobre o conflito. Antes, a organização de corredores humanitários em cidades ucranianas, acordada na segunda reunião de negociações, fracassou devido à continuação dos ataques.

Também nesta segunda (7), proposta feita por Moscou para retirada de civis foi rechaçada por Kiev. No modelo proposto, seis rotas seriam estabelecidas e, em algumas delas, o destino dos civis seriam cidades russas e belarussas. Kiev descreveu o plano como inaceitável e imoral.

"Vamos tentar de novo", escreveu Mikhailo Podolak, chefe de gabinete do presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, nas redes sociais. Segundo ele, o acordo para o corredor humanitário de Sumi nesta terça foi aceito pelas duas partes.

Segundo a vice-primeira-ministra ucraniana Irina Vereshchuk, o Ministério da Defesa da Rússia se comprometeu, em uma carta enviada à Cruz Vermelha, a respeitar o corredor nesta terça. A trégua deveria acontecer das 9h às 21h locais (4h às 16h de Brasília).

Ela alertou, entretanto, para o risco de ataques mesmo com a entrada dos corredores em vigor. "Temos informações de que o lado russo planeja perturbar este corredor e que há manipulações para obrigar as pessoas a seguir outro itinerário que não está coordenado [com os ucranianos] e é perigoso", disse.

Antes da abertura dos corredores humanitários, ao menos 21 pessoas -incluíndo duas crianças- morreram durante bombardeio em Sumi. A cidade, localizada a 350 km ao leste de Kiev, tem sido palco de combates violentos há vários dias.

"Aviões inimigos atacaram de maneira insidiosa edifícios residenciais", disse o serviços de emergência ucraniano. Os socorristas conseguiram resgatar ao menos uma mulher que estava presa sob os escombros.