O filtro solar deve ser usado o ano inteiro, mas com o verão se aproximando e o aumento da temperatura, algumas adaptações devem ser feitas na rotina de cuidados com a pele. Se no inverno era preciso realizar a hidratação evitando o ressecamento, no verão é necessário ter atenção, uma vez que a radiação solar incide com mais intensidade sobre a Terra, aumentando o risco de queimaduras, câncer da pele e outros problemas. Esse é o momento de intensificar o uso de filtro solar, que deve ser aplicado diariamente, e não somente nos momentos de lazer.

De acordo com Silvia Reis Klem, coordenadora do curso deBiomedicina da Faculdade Anhanguera Taboão da Serra, o fator mínimo de proteção solar pode variar de acordo com a pigmentação da pele e a exposição solar. "É altamente recomendável o uso diário de produtos com proteção solar (FPS) 30 ou superior para exposições prolongadas ao sol. A aplicação deve ser realizada 30 minutos antes da exposição solar, distribuindo uniformemente o protetor em todas as partes do corpo, incluindo mãos, orelhas, nuca e pés, com reaplicação a cada duas horas. No caso de transpiração excessiva ou contato com a água, esse intervalo de reaplicação deve ser reduzido. É crucial salientar que, embora as pessoas de pele negra produzam mais melanina, a proteção contra queimaduras, câncer de pele e outros problemas deve ser prioritária", destaca.

A especialista esclarece que tanto os raios solares do tipo UVA quanto os UVB causam danos às células da pele, sendo que a radiação UVB é de alta intensidade das 10h às 16h. “Os raios UVA têm uma forte associação com o desenvolvimento de câncer de pele do tipo espinocelular e melanoma. Por outro lado, os raios UVB estão ligados ao surgimento de tumores de pele, especialmente do tipo basocelular, e podem frequentemente resultar em queimaduras e vermelhidão”, analisa.

Outro alerta nesse período é em relação ao uso do filtro solar em crianças. “Recomenda-se iniciar a aplicação a partir dos seis meses de idade, utilizando um produto formulado para a pele delicada. É aconselhável consultar um pediatra ou dermatologista para obter orientações sobre o produto mais adequado para cada situação”, explica Silvia.

Nos últimos anos, o protetor solar em cápsulas se popularizou no Brasil, mas, ainda de acordo com a professora, esse formato não substitui a fotoproteção aplicada sobre a pele e os fotoprotetores orais apenas contém moléculas antioxidantes que neutralizam radicais livres, o que minimiza os efeitos nocivos da radiação solar, mas, em hipótese alguma, apresentam a mesma eficácia dos filtros disponíveis em loção, creme, gel creme ou spray. As cápsulas não têm o poder de barrar a penetração dos raios ultravioletas na pele, como o filtro tradicional faz.

Para que você possa curtir o sol com tranquilidade, o especialista preparou algumas dicas de cuidados com a pele: 

  • Passar o protetor solar na pele ainda seca, pelo menos 30 minutos antes da exposição solar;
  • Reaplicar o protetor solar a cada 2 horas;
  • Escolher um protetor solar específico para as necessidades de cada pele;
  • Usar também protetor labial e um protetor solar próprio para o rosto;
  • Passar o protetor por todo o corpo de forma uniforme, cobrindo também os pés e as orelhas;
  • Evitar ficar muito tempo diretamente exposto ao sol, principalmente e quando o índice da radiação ultravioleta é maior e mais danoso.

Fonte: Notícias ao Minuto