Cerca de 700 mil pessoas estão em situação de pobreza em Salvador

27

Números cresceram depois da pandemia

O número de famílias beneficiadas pelo Auxílio Brasil subiu de 227 mil para 237 mil, em Salvador. Serão 10 mil novos cadastros até o final de março. O programa do governo federal substituiu o Bolsa Família e oferece, em média, R$ 400 para quem vive em situação de vulnerabilidade social. A prefeitura estima que existe 700 mil vivendo nessas condições.

Na prática, o aumento do número de beneficiados denuncia o crescimento da pobreza na cidade. O prefeito Bruno Reis (DEM) contou que a pandemia aprofundou as desigualdades sociais em Salvador e que é preciso encontrar alternativas para gerar emprego. Nesta segunda-feira (7), ele assinou um acordo de cooperação com o Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte para o desenvolvimento de parcerias.

“Estamos falando de algo entorno de 700 mil pessoas na cidade, que corresponde a quase um terço da nossa população, que estão sem situação de pobreza ou de extrema pobreza. A situação agravou muito por conta da pandemia. Nós nunca tivemos números tão altos como agora”, contou.

Segundo dados da prefeitura, são 217 mil pessoas vivendo em extrema pobreza, ou seja, com renda mensal de até R$ 100. E mais 20 mil estão sem situação de pobreza, com renda de até R$ 200 por mês. Outras 16 mil famílias aguardam a resolução de trâmites burocráticos para serem inseridas no Auxílio Brasil. A vice-prefeita e secretária de Governo, Ana Paula Matos (PDT), contou que esse é o maior número de beneficiários da história do programa em Salvador.

“Quem concede esse benefício é o Governo Federal, mas nós temos o trabalho fundamental de ir de porta em porta descentralizando nosso CadÚnico para poder ter acesso às pessoas. Precisamos garantir que o contrato estivesse atualizado, que as informações estivessem corretas, ampliamos as equipes e o número de unidades que oferecem esse atendimento para garantir que todos sejam atendidos”, afirmou.

Ela acredita que o acordo firmado com o Departamento de Comércio do Reino Unido e a criação de um escritório internacional na prefeitura vão ajudar a atrair mais investimentos e gerar oportunidades de emprego em Salvador.