Carnaval no circuito Batatinha
Fotos: Bruno Concha / Secom PMS

O Carnaval no Circuito Batatinha, no Centro Histórico de Salvador, propõe, com êxito, um clima mais tranquilo a soteropolitanos e turistas que buscam curtir a uma folia longe dos desfiles de grandes trios. É o caso do supervisor eletromecânico Rafael Soares, um gaúcho de 44 anos, que trouxe toda a família para curtir a folia no local.
“É uma festa muito bem organizada. Sentimos uma melhora muito grande na questão da segurança pública. Essa é nossa segunda visita a Salvador durante o Carnaval e já saímos em blocos, participamos da festa em outros circuitos, mas hoje viemos para cá em busca de mais tranquilidade. O diferente deste ano também é este calor que não passa”, brinca.
Morador do bairro de Cajazeiras, o motorista de aplicativo Carlos Dias, 37, aproveitou a manhã de folga para apresentar a festa do Pelourinho a familiares de outros estados. “Salvador é tão linda que quando temos a possibilidade de visitar o Centro Histórico. É como se fossemos todos turistas. Vou andar de Elevador Lacerda, tomar um sorvete na Cubana e viver a cidade da melhor maneira possível”.
Para o vendedor Nelson Ito, de 30 anos, e morador do Caminho de Areia, a folia mais leve do Pelô é um atrativo para quando se quer mais tranquilidade sem perder a diversão.

“Sempre que não viajo durante o Carnaval, prefiro vir ao Pelourinho, pois é mais tranquilo e possui um ambiente familiar. Nada tão agoniado como os demais circuitos. Fora isso, tem a questão cultural e nossas raízes africanas, que estão bastante presentes neste lugar”, diz.

Programação – Nesta segunda-feira (12), a folia no Pelourinho começa às 16h, com apresentações de Olodum, Abuse e Use, Afoxé Xirê Loní, Afrobogum, Baba Afoma, Bloco Arayê, Chabis’c, Filhos de Korin Efan, Filhos de Omolum, Insabá Mazá, Bloco da Capoeira, com o Afro MAngangá, Kayala da Bahia, Mania de Sambar & As Gostosas, Mundo Negro, Mutantes (O Bloco), Omo Izó, Rosa Jaguaricema, Samba e Folia e banda Tomalira.
Na terça-feira (13), último dia oficial da festa, as ruas do Pelô recebem Ókánbí, Afrodescendentes da Bahia, Alabê, Ambiental e Ecossistema, Baba Afoma, Blocão da Saudade, Bloco da Saudade, Cortejo Afro, Filhos de Jah, Furacão 2001, Kambalagwanze, Ki Beleza, Obá de Xangô, Olorum Baba Mi, Os Negões, Povo de Santo, Samba Terramar, Swing do Pelô, Todo Menino é um Rei e o Pequeno Príncipe de Airá.

Reportagem: Eduardo Santos / Secom PMS

Fonte: SECOM / Salvador