Ataque russo a hospital infantil mata 3 pessoas, diz Ucrânia; Moscou afirma que acusações são ‘fake news’

16

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Rússia disse nesta quinta-feira (10) que acusações da Ucrânia sobre bombardeio em um hospital infantil em Mariupol eram "fake news". Segundo Moscou, o prédio, no porto no sul do país que está sob cerco, era uma antiga maternidade que havia sido tomada por soldados ucranianos havia muito tempo.

"É assim que nascem as notícias falsas", disse no Twitter Dmitri Polyanski, embaixador-adjunto da Rússia nas Nações Unidas. Ele afirma que a Rússia havia alertado em 7 de março que o hospital havia sido transformado em um objeto militar do qual os ucranianos estavam atirando.

O presidente ucraniano Volodimir Zelenski acusou a Rússia de realizar genocídio depois que autoridades locais disseram que aviões russos bombardearam o hospital infantil na quarta.

"A destruição é colossal. Ataque direto de tropas russas à maternidade. Pessoas, crianças estão sob os escombros", escreveu no Twitter Zelenski, embora as imagens até aqui disponíveis não indicassem essa condição das vítimas.

Três pessoas, incluindo uma menina, morreram no bombardeio russo, de acordo com o governo local. Um balanço anterior das autoridades relatou 17 pessoas feridas.