Uma lâmpada de má qualidade pode trazer sérios riscos à segurança do consumidor. Especialmente nesta época do ano é importante estar atento ao adquirir outro tipo de produto: a iluminação natalina, ou os famosos pisca-piscas.

Isso porque fios elétricos partidos, de má qualidade ou sem isolação, extensões, benjamins ou instalações elétricas provisórias estão entre os principais causadores de acidentes elétricos em residências, com 31% das ocorrências fatais, de acordo com o Anuário Estatístico de Acidentes de Origem Elétrica 2023 (ano base 2022), organizado pela Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade).

Para apoiar o consumidor na hora da compra, Rubens Rosado, engenheiro elétrico e assessor técnico da Abilumi (Associação Brasileira de Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação), orienta sobre os cuidados no momento da escolha.

“Todas as informações da embalagem têm de estar em português, desde a correta utilização do produto até as suas especificações técnicas, tais como tensão da rede elétrica a que se destina em Volt (V), a potência máxima do conjunto em Watt (W), e os cuidados necessários no uso do produto. Esses dados são, inclusive, exigências do Inmetro (Portaria nº 335/2011) e do Código de Defesa do Consumidor”, informa o especialista.

“É aconselhável adquirir os produtos em lojas especializadas, pois infelizmente esse tipo de produto se caracteriza principalmente pela informalidade de algumas empresas, que muitas vezes atuam apenas nessa época específica do ano. Quanto ao plugue da tomada, deve acompanhar o padrão brasileiro e também trazer a marca de certificação do Inmetro”, orienta o engenheiro.

Segundo Rosado, da Abilumi, outra forma de o consumidor se proteger na hora de comprar esses produtos é checando os dados informados pelo importador/fabricante, como razão social, CNPJ, e o contato para atendimento ao cliente. “Sem essas informações, o consumidor não vai poder reclamar de algum eventual defeito ou desconformidade”, alerta.

Como em muitas situações do dia a dia, também neste caso o barato pode sair muito caro, na opinião do especialista da Abilumi. “Adquirir um produto de iluminação natalina seguindo apenas o critério do preço mais baixo pode significar levar para casa um produto fora das especificações de segurança, o que acarreta sérios riscos ao usuário, inclusive o de choque elétrico”, conclui.

Caso o consumidor identifique produtos irregulares no comércio, o especialista da Abilumi orienta denunciar à Ouvidoria do Inmetro pelo telefone 0800 285 1818 ou pelo formulário disponível na página do Inmetro, em https://www.gov.br/inmetro/pt-br/canais_atendimento/ouvidoria.

294066?partnerId=3799