Uma revolução tem ocorrido de forma discreta no setor da saúde e tem provocado mudanças significativas na forma como os quase 131.5 milhões de potenciais pacientes* e médicos se conectam e se relacionam. Este artigo se propõe a examinar como o Marketing Médico na internet e redes sociais vem afetando o setor de saúde e por que isso é relevante tanto para profissionais, quanto para pacientes.

O Empoderamento do Paciente e Mudança na Jornada do Paciente

Com a evolução do Marketing Médico, os pacientes têm acesso a uma variedade de informações sobre saúde que antes estavam restritas ao consultório médico no ato da consulta. Eles podem, por exemplo, ler, ver vídeos e escutar podcasts sobre sintomas, tratamentos e descobrir clínicas e médicos nas proximidades com apenas alguns cliques em seus celulares. Essa acessibilidade faz com que os pacientes se sintam mais empoderados e participativos em suas próprias decisões de saúde.

Antigamente as pessoas procuravam na lista telefônica ou pediam indicação para amigos e familiares sobre um médico. Alguns procuravam nas listas dos convênios. Hoje a realidade é diferente. O próprio paciente procura no “Dr. Google” não só pelo médico ou especialidade, mas também se informa por conta própria sobre algum sintoma, tratamento, procedimento ou cirurgia. 

Esse empoderamento do paciente trouxe uma mudança na relação médico-paciente, tornando-a mais colaborativa.

Alguns médicos não veem isso com bons olhos, considerando especialmente a quantidade de desinformação veiculada na internet. Outros médicos, já entendem que essa nova realidade traz diversas oportunidades, já que se o paciente procura e se informa por conta própria hoje em dia, que ele faça isso encontrando informações seguras em sites de médicos.

O Desafio dos “Novos x Antigos Médicos”

Os “novos médicos”

Os “novos médicos”, aqueles que estão em começo de carreira, já tem um mindset orientado para o marketing. Muitos já pensam na parte do marketing antes mesmo de terminarem a residência.

“Vou terminar a residência em 2 anos e queria saber o que já posso fazer na parte de marketing?”

Esta é uma pergunta que o Especialista em Marketing Médico, Edson Medeiros, sócio da WE Marketing Médico, recebeu há alguns dias de uma médica que ainda estava na residência. A procura, que talvez seja precoce, reflete exatamente a importância que a nova geração dá para o marketing médico.

Só faz residência quem não se garante no Instagram.

A frase “só faz residência quem não se garante no Instagram” tem circulado nas redes sociais e, apesar de ser uma falsa afirmação, traz à tona o crescente papel do marketing médico na carreira de profissionais de saúde.

Para os médicos que já estão há algum tempo no mercado

Para os médicos “mais antigos” o pensamento já muda um pouco. Eles enxergam o marketing médico como uma possibilidade de se posicionarem melhor no mercado, trazerem pacientes mais qualificados e para muitos, uma luz no fim do túnel para diminuir a dependência dos convênios.

Além disso, para os médicos que já atendem no consultório há algum tempo também acreditam que “ou você está na internet, ou você estará fora do mercado em pouco tempo”.

Não é só sobre “fama e dinheiro”

O marketing médico também tem um caráter social. Ele permite que pacientes encontrem informação segura em sites e perfis de médicos nas redes sociais, ao invés de desinformação trazida várias vezes, sem querer, por formadores de opinião que não possuem formação para tratar de assuntos relacionados à área da saúde..

Conclusão

A revolução silenciosa do Marketing Médico na saúde está remodelando a forma como os serviços médicos são divulgados e como os profissionais de saúde se comunicam com seus pacientes. Está mudando também como o próprio paciente se informa e decide qual o melhor profissional para atendê-lo. 

Para Waldeir Ferreira, também sócio da WE Marketing Médico:  “Marketing Médico hoje é como o Marketing Digital começou a ser enxergado 10 anos atrás: algo essencial para qualquer profissional ou empresa.”

Essa é apenas a ponta do iceberg no universo do marketing médico. À medida que a tecnologia avança e os comportamentos dos pacientes mudam, o marketing médico continuará a se adaptar e a evoluir, mantendo-se como uma força motriz na transformação do setor de saúde. Portanto, pode-se dizer que a revolução silenciosa do marketing médico na saúde é, de fato, uma resposta à mudança de comportamento da sociedade. E essa é uma revolução que está apenas começando.

*dados da população digital brasileira ativa retirados do relatório de Tendências Digitais da ComScore de 2023

291046?partnerId=3799