A tecnologia 5G está mudando a forma como as pessoas podem se conectar e interagir em todo o mundo. No Brasil, segundo informações do Ministério das Comunicações, esse recurso chegou com a promessa de abrir portas para uma infinidade de novas aplicações e serviços, impactando positivamente no cotidiano dos brasileiros, trazendo mais inclusão digital. De acordo com publicação da Agência Senado, 20% da população brasileira permanece sem acesso à internet e a expectativa com a nova conexão é de diminuir esse cenário e expandir a rede digital em todo o território nacional.

Em levantamento recente da Conexis Brasil Digital, instituição que reúne as empresas de telecomunicações e conectividade, com base em informações da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), desde a sua implementação no Brasil, o 5G obteve mais de 10,1 milhões de usuários em seus primeiros meses, superando a expectativa inicial. Como uma forma de manter os consumidores a par de toda a transformação, a Anatel disponibilizou um painel de acompanhamento para consultas acerca da rede 5G no Brasil.

Para explicar como funciona essa conexão e sobre as mudanças que serão ocasionadas tanto nas relações pessoais até os mais diversos setores da economia, Marcus Policarpo, especialista em rede de telecomunicações e gerente técnico em uma empresa provedora da tecnologia 5G, responde algumas perguntas:

O que é o 5G ou “quinta geração”?

Marcus: O 5G é a próxima evolução da tecnologia de comunicação móvel. É uma rede sem fio mais avançada, capaz de transmitir dados em altíssima velocidade, com menor latência (tempo de resposta) e maior capacidade de conexão simultânea. Em termos práticos, isso significa que será possível navegar na internet, assistir a vídeos em alta definição e utilizar aplicativos de forma simultânea de forma muito mais rápida e eficiente.

Quem pode utilizar essa tecnologia no Brasil?

Marcus: Não somente no Brasil, mas em todo o mundo o 5G poderá ser aplicada em diversos setores, impactando desde o consumidor final, como também a indústria, agricultura e pequenas e grandes empresas.

Para o público em geral podemos citar como um exemplo prático, a implantação significativa da rede de internet em locais que não possuem uma rede residencial com  qualidade, que sofre com interferências constantes advindas de vandalismos, como furtos de cabos das operadoras. Para estes casos específicos poderá ser utilizado um modem adequado que receberá o sinal 5G diretamente da antena sem a necessidade de cabos, dessa forma beneficiando tanto os clientes como as empresas de telecomunicações.

Como as empresas podem ser impactadas por essa tecnologia?

Marcus: Em termos de aplicação no setor comercial, recentemente foi noticiado na mídia um teste realizado no hub de veículos (local onde ficam armazenados os veículos que serão exportados/importados) do Porto de Suape, em Pernambuco, utilizando a rede 5G em conjuntos com uma solução de vídeo analytics.

Essa automatização permite localizar e identificar os carros que estão sendo transportados, permitindo uma organização na disposição dos veículos, trazendo uma dinâmica maior em um ambiente portuário, onde o tempo e espaço são disputados. Além de agilidade e eficiência no controle das importações e exportações de carros.

Já se pode vislumbrar também melhorias significativas em todo o setor industrial, permitindo a implementação de processos de automação mais eficientes, como a utilização de robôs e sensores inteligentes, podendo resultar em maior produtividade, segurança e redução de custos nas fábricas e linhas de produção.

Quais os desafios estão sendo enfrentados para a implantação do 5G no mercado brasileiro?

Marcus: A implementação do 5G requer um investimento significativo na infraestrutura de telecomunicações, incluindo a instalação de novas antenas e novos equipamentos centrais, novos data centers, além da ampliação e modernização dos já existentes. Apesar do  desafio ser grande para as operadoras de telecomunicações, elas estão recebendo muito apoio dos seus fornecedores de infraestrutura. Outro ponto desafiador para o setor, é a necessidade de se instalar uma rede totalmente nova sem permitir a degradação dos serviços existentes das demais redes (2G, 3G e 4G).

A disponibilidade do 5G também requer a alocação de frequências de espectro adequadas, mas segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em comunicado oficial em 23 de junho de 2023, a faixa de 3,5 GHz já está liberada em 1.610 municípios, nos quais vivem 66,4% da população.

Você pode nos dar alguns exemplos de como o 5G pode atuar em diferentes segmentos?

Marcus: Esta nova era, em termos tecnológicos, viabiliza a conexão de uma infinidade de dispositivos, criando uma rede inteligente e interconectada, o que possibilitará  a implantação da automação residencial, cidades inteligentes e agricultura de precisão. Também será possível realizar consultas médicas remotas de alta qualidade, com transmissão de imagens em tempo real, possibilitando diagnósticos mais precisos. Experiências de entretenimento, como jogos on-line, streaming de vídeo e realidade virtual, atingirão um novo patamar. A alta velocidade e a baixa latência permitirão uma interação mais fluida e imersiva.

O desenvolvimento de soluções de mobilidade inteligente, como carros conectados e autônomos, trará avanços em segurança viária, gestão de tráfego e eficiência energética, além de proporcionar uma experiência de viagem mais conectada e confortável.

Para finalizar, o que podemos esperar de um futuro com essa tecnologia?

Marcus: Com o estímulo à transformação digital, com velocidade ultra rápida, baixa latência e capacidade de conexão massiva, a adoção do 5G abre um caminho para uma variedade de aplicações, e pode impulsionar uma mudança em diferentes setores da economia, incluindo saúde, indústria, agricultura e transporte. Isso pode resultar em melhorias significativas na eficiência operacional, criação de novos modelos de negócios e desenvolvimento de soluções tecnológicas avançadas.

290971?partnerId=3799