Mobilizar ações sobre a crise hídrica global. Essa é a principal pauta do CEO Water Mandate, iniciativa especial, que ocorre de 17 a 21 de setembro, dentro da 78ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). Em parceria com o Pacific Institute, a programação conta com um fórum para que empresas partilhem boas práticas e estabeleçam parcerias para enfrentar os desafios hídricos urgentes, como escassez, qualidade, acesso à água e saneamento.

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), em um planeta com 8 milhões de habitantes, 26% da população mundial não têm acesso à água potável, ou 2 bilhões de pessoas. Além disso, 46% das pessoas no mundo não possuem serviços de saneamento seguros, o que representa 3,6 bilhões.

Em um âmbito geral, a disponibilidade de vagas também passa pelo acesso à água. A ONU estima que três de cada quatro empregos de toda a força de trabalho global são fortes ou moderadamente dependentes da água, ressaltando que a escassez e os problemas relacionados ao saneamento podem limitar o crescimento econômico e a criação de novos postos nas próximas décadas.

Já na América Latina e Caribe, segundo o Banco Mundial, cerca de 150 milhões de pessoas – um quarto da população deste território – vivem em áreas com escassez de água e mais de 400 milhões sofrem carência de saneamento seguro. Tal situação ocorre em uma região que abarca um terço dos recursos hídricos do mundo, com o maior patrimônio hídrico per capita.

Essas e outras realidades estarão atreladas às discussões do CEO Water Mandate. Com participação ativa nos fóruns e ações registradas na Water Action HUB, o Latin American Quality Institute (LAQI) é uma das organizações registradas para os debates. O fundador e principal executivo da LAQI, Daniel Maximilian da Costa, explica que, assim como as demais empresas presentes na plataforma de compromissos, o objetivo principal da conferência é a ação nas áreas de gestão da água e apresentar relatórios anuais sobre a melhoria contínua.

“Por meio desses compromissos, enfatizamos, com dados palpáveis, relatórios estatísticos e publicações com base em especialistas, nosso engajamento na identificação e redução de riscos hídricos críticos para os negócios”, comenta. Ele ressalta, ainda, que os reflexos chegam aos mais diferentes âmbitos da organização. “A LAQI está presente em diferentes países da América Latina e atende a mais de 3 mil empresas. Então, podemos dizer que essa atenção à gestão hídrica e a outros temas sustentáveis, sem dúvidas, é um fator determinante para as companhias que compõem a nossa comunidade de membros. Nosso objetivo é que a visão sustentável chegue aos mais diferentes âmbitos”, conclui.  

282733?partnerId=3799