A tendência do envelhecimento populacional pode aumentar a demanda por cuidadores de idosos qualificados e capacitados para prestar assistência aos idosos em suas atividades diárias, além de acompanhá-los em consultas médicas, passeios e atividades recreativas.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou, em junho deste ano, que a parcela da população idosa com mais de 60 anos subiu 15,1% em 2022. Dez anos antes, em 2012, a parcela era de 11,3%. Os dados também mostram que o percentual de pessoas abaixo dos 30 anos caiu de 49,9% em 2012 para 43,3% em 2022.

A especialista em gerontologia, a professora e enfermeira Kátia Ventura., afirma que a profissão de cuidadores de idosos vai se valorizar à medida em que cresce a população idosa, no entanto, a falta de reconhecimento da profissão e de regulamentação adequada são os principais desafios enfrentados.

“É preciso investir na qualificação e na reorganização para o mercado de trabalho. Buscando essa qualificação e aplicabilidade respaldada em legislações específicas que fortaleçam a profissão, isso resultará em reconhecimento”, explica Kátia, que leciona o curso de cuidadores na Fametrotec, núcleo de cursos técnicos do Centro Universitário Fametro.

Apesar dos desafios, há oportunidades nesse mercado em expansão, como a possibilidade de especialização em áreas específicas, além de pode atuar em comunidades, casas de repouso, clínicas, hospitais, asilos e instituições de longa permanência.

“No Amazonas em particular, poucas instituições educacionais investem na grade curricular com ênfase na área de gerontologia. Podemos fracionar uma infinidade de cursos de capacitação nessa área, como assistência ao cliente com demências, alimentação do idoso com sondas, higiene da pessoa idosa, cuidados paliativos, suporte emocional à pessoa idosa, entre outros”, pontua Kátia.

A necessidade de compor renda familiar e a falta de tempo para se dedicar aos cuidados de uma pessoa idosa também são fatores que aumentam a demanda por cuidadores atualmente, aponta a especialista.

“A dificuldade no manejo diário com diversas necessidades dos idosos faz com que a família busque profissionais capacitados de conhecimento técnico específico”, ressalta Katia.

Oportunidades

Dois meses após se formar no curso de cuidadores de idosos, em maio deste ano na Fametrotec, a profissional Izabela Azevedo conseguiu emprego na instituição Renascer, em Manaus. 

“Acredito que temos muitas oportunidades na área após a formação, não demorou muito para que conseguisse emprego. Também sou formada em curso técnico de enfermagem, e isso agrega na minha formação e amplia minhas possibilidades de emprego”, declara. 

Eliana Souza é graduada em Enfermagem e conta que fez o curso de cuidadores de idosos, em 2019, para ganhar horas na grade curricular, mas, além das horas, o curso também agregou conhecimento para o cargo atual.

“Hoje trabalho fazendo home care e estou com três pacientes. Ter me especializado nessa área me faz trabalhar com segurança, tanto para mim, quanto para o paciente”, afirma.

281444?partnerId=3799